Lições de quem venceu para quem quer vencer #DepartamentoasQuintas

Dicas-para-o-sucessoMuitas vezes as pessoas de sucesso são invejadas, são idolatradas, são colocadas em pedestais como se fossem únicas – que realmente são iguais a tantas outras que não tem sucesso e também são únicas – e todos querem saber o como, as dicas, as lições do sucesso.

Ignoram grande parte destas pessoas que o sucesso provém do trabalho, da abnegação, do sacrifício.

A revista Exame.com separou 7 exemplos de sucesso e seus caminhos para chegar lá, vale a pena conferir:

Abaixo, veja 7 lições que os campeões olímpicos têm a ensinar aos líderes de empresas, segundo especialistas ouvidos por EXAME.com.

1. Aprender com os resultados e, principalmente, com os erros anteriores

O ginasta Dyego Hipólito caiu e perdeu a chance de premiação em duas Olimpíadas seguidas. Mas, trabalhou seus pontos fracos e, nos Jogos deste ano, levou a medalha de prata no solo.

“Da mesma forma, um líder precisa saber superar suas dificuldades, ser resiliente e contornar obstáculos”, comenta Leni Hidalgo, professora da pós-graduação em gestão de pessoas do Insper.

Anderson Sant’Anna, professor da Fundação Dom Cabral, concorda.

“Assim como o atleta, o líder vai errar sim, vai cair sim, vai falhar sim. É esperado que ele acerte mais que erre, mas sem assumir riscos, não vai inovar”, afirma.

2. Ter capacidade de trabalhar em equipe e aprender com o outro

Nos esportes coletivos, como vôlei ou futebol, os times são formados por jogadores que têm habilidades que se complementam. No mundo corporativo não é diferente: quem é líder precisa promover a diversidade e se cercar de profissionais que dominam os temas nos quais ele não é expert.

“Quando as pessoas atuam de forma muito individual, a equipe normalmente não tem um bom desempenho. Nas empresas é a mesma coisa”, diz Leni Hidalgo, do Insper.

3. Saber lidar com condições adversas

A final do vôlei de praia feminino na Olimpíada do Rio, na noite da última quarta-feira (17), foi disputada debaixo de chuva – situação que nem sempre acontece nos treinos. Não deu para as brasileiras Agatha e Bárbara, que perderam para a dupla alemã Ludwig e Walkenhorst.

Conseguir seguir com o jogo em diferentes condições também é uma habilidade necessária aos líderes, ressalta a professora do Insper.

“Por muito tempo as competências gerenciais foram muito enfatizadas: as de buscar um resultado pré-definido, com processos e indicadores. Hoje, o que distingue um líder de um gestor é a capacidade de lidar com o imprevisto”, completa Sant’Anna.

4. Sempre desafiar-se a ser melhor

Atletas olímpicos estão sempre procurando melhorar suas próprias marcas, conquistar feitos inéditos e bater recordes.

Foi com ousadia que o brasileiro Tiago Braz levou o ouro no salto com vara, na noite de segunda-feira (15). Ele saltou a 6,03 metros, uma altura que nunca tinha tentado antes na carreira – e passou ileso pelo sarrafo.

“A liderança também tem esse papel de elevar o patamar, de acreditar que o grupo pode ir além se for desafiado, se estiver comprometido”, destaca o professor da FDC.

5. Ter agilidade mental

Para conseguirem destaque, atletas precisam o tempo todo encontrar soluções não convencionais para os desafios de sempre. Isso é alcançado com agilidade mental. Alguma semelhança com o trabalho dos chefes nas empresas?

“Foi o que aconteceu com as meninas da vela [Martine Grael e Kahena Kunze, que levaram o ouro na classe 49er FX, na última quinta-feira (18)]. Todo mundo achava que o caminho era um, mas elas saíram por outro e conquistaram o primeiro lugar”, pondera a professora do Insper.

6. Entender que sem sacrifício, não há conquista

“O atleta profissional atua no limite da dor. Ele tem que administrar a insegurança, a incerteza e a dor física e transformá-las em algo estimulante, prazeroso. Suportar algo que incomoda e converter isso em conquista também é papel do líder”, afirma Sant’Anna, da FDC.

7. Ter autoconhecimento

Um atleta que não conhece seus pontos fortes, não pode explorá-los. Do outro lado, se ele não sabe quais são suas deficiências, não pode melhorá-las.

“O líder também tem que saber ler a si próprio, entender seus limites e suas fortalezas. Porque o concorrente ele pode (e vai) estudar, mas nunca saberá exatamente o que acontece com o outro”, diz Sant’Anna.

Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/7-licoes-que-os-campeoes-olimpicos-podem-ensinar-aos-lideres

 

Destas lições, quais você aplica no seu dia a dia?

Existe caminho melhor do que pensar na sua carreira, trabalho, possibilidades de crescimento para chegar nos seus objetivos?

Sim, existe. É realizar o que se pensa. Só no pensamento as coisas não acontecem.

Precisamos agir, concretizar, errar, pois somente no erro aprendemos muitas vezes.

Quer sucesso?

Comece a pensar e agir. Ele virá ao seu encontro.

______________________________________________________________________________________
Pensamentos escritos por Gustavo Rocha
Consultoria Gustavo Rocha.com – Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos
(51) 8163.3333  |  gustavo@gustavorocha.com  | http://www.gustavorocha.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s