Robôs recriam a voz humana com perfeição. E daí?

Poderia ser apenas uma notícia que interessasse a área de tecnologia, mas na verdade, impacta e importa bastante também a área jurídica.

Em um documentário americano sobre culinária de um chef já falecido, o diretor pegou textos do chef e colocou como se ele estivesse narrando o vídeo, o que causou diversas polêmicas que vão deste a autorização da família para este tipo de ato, como questões de que como perceber o que é real do que foi feito por robôs?

A esta altura você deve estar se questionando: O que isto se aplica ao direito propriamente dito? Seria o fato do direito de família ou de licenciamento televisivo ou até questões éticas de direito autoral?

Vou além: Como um advogado ao pegar uma causa faz a análise dela para se convencer se existe ou não aquele direito?

Analisando as provas existentes, circunstanciais e fatos ocorridos.

Assim, supondo o vídeo mencionado no exemplo acima, como o advogado pode buscar um direito se ele mesmo não consegue discernir o vídeo/áudio se é ou não verdadeiro?

Deep Fake (tecnologia que usa inteligência artificial para produzir vídeos falsos) não é algo novo, quiçá moderno, já existe há muito tempo. Entretanto, atualmente, as montagens são tão perfeitas que somente olhos treinados conseguem perceber os equívocos que a máquina faz ao montar os vídeos.

O que antes era apenas um seguimento do direito, o chamado direito digital, hoje se tornou imprescindível para exercer as mais variadas áreas do direito.

Entender dos conceitos como NTF (tokens não fungíveis), Metaverso, inteligência artificial, workflow dentre outros é requisito elementar para compreender a sociedade e, portanto, o próprio direito, já que é da e para a sociedade que o mesmo precisa olhar e aplicar.

Como principal conceito para se preparar para o mercado, importante compreender que a advocacia que antes já foi somente singular, artesanal e somente ligada as leis, hoje é uma atividade multidisciplinar, que está interligada e conectada a outros tipos de conhecimento, em especial administração, tecnologia, marketing, etc.

Ignorar esta realidade é tapar o sol com uma peneira.

Basta visualizar o mercado de tecnologia, que em plena pandemia, teve um crescimento que mais do que dobrou de tamanho. NFTs, por exemplo, é um mercado que gira a casa de milhões de dólares todos os meses no mundo (inclusive no Brasil).

O questionamento é: Você quer advogar no bê-á-bá de sempre ou quer estar onde a sociedade/mercado/negócios estão?

Comece hoje para amanhã colher os frutos.

Sou Gustavo Rocha 

Professor da Pós Graduação, coordenador de grupos de estudos e membro de diversas comissões na OAB. 

Atuo com consultoria em gestão, tecnologia, marketing estratégicos e implementação de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD. 

Quer conhecer mais? www.gustavorocha.com 

Prefere mandar email ou adicionar nas redes sociais? gustavo@gustavorocha.com  

Algo mais direto como Whatsapp, Telegram ou Signal? (51) 98163.3333 

#Gestão #Tecnologia #MarketingJuridico #Privacidade #LGPD 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.