A raiva e você

Quando pensamos em raiva, logo pensamos em alguém descontrolado, que faz coisas agressivas, que explora o indefensável da outra pessoa para magoá-la ou feri-la.

Concordo, a raiva não é um sentimento legal, mas quando ela acontece, devemos enfrentar dois tópicos importantes:

1. O que desencadeou a raiva?

2. Com a raiva ganhamos o quê?

Vejamos:

1. O que desencadeou a raiva?

Inúmeros fatores podem ter feito você ficar com raiva, mas um problema sempre existe quando analisamos este fator: geralmente analisamos apenas o último, aquele fator que fez você explodir. Na verdade, devemos analisar todos os fatores possíveis, pois o fator da explosão as vezes é muito singelo.

Qual a importância desta análise?

Enorme. Não agir com raiva ou por impulso gera uma inteligência emocional grande, economiza muito dinheiro e treinamento e mais, proporciona um ambiente de trabalho mais sadio.

Ocorre que muitas pessoas odeiam pensar naquilo que fizeram. Apenas gostam de dizer que se fizeram assim, pronto, passou. Quer dizer, elas podem errar, mas não podem pensar no porque erraram ou o que poderiam fazer para mudar.

Ter raiva o tempo todo não é normal, nem mesmo é benéfico. Óbvio, nunca ter raiva de nada também não é normal e pior, pode ser uma doença grave guardar tudo para si, pois o dia que explodir, sai de baixo!

Agora, a raiva tem pontos que podem ser positivos.

2. Com a raiva ganhamos o quê?

Se analisarmos bem, quando estamos com raiva nos sentimos mais seguros, rápidos, eficientes, corajosos, inteligentes, enfim, sentimos que nada pode nos afetar. Isto é uma pseudo segurança que a raiva nos proporciona.

Além disto, a raiva extravasa os sentimentos, quer dizer, não deixa que as coisas fiquem engasgadas na garganta e por conseqüência na nossa mente e coração, trazendo sempre coisas e sentimentos ruins no nosso dia a dia.

Somos resultado das nossas escolhas, lembre-se disto.

Se escolhermos guardar sentimentos, não conversar com as pessoas e resolver as pendencias, ficarmos isolados de tudo e de todos, temos que assumir as conseqüências destes atos.

Você já passou por momentos de raiva recentemente? Quais os fatores que a ocasionaram? Nunca é um só…

Como você reagiu? Você extravasou? Você precisou pedir desculpas pela sua atitude?

Sejamos nós donos do nosso templo interior!

Vamos controlar nossas emoções, desbastar nossa pedra bruta, evoluirmos em prol de um nós mesmos melhor e mais saudável.

Raiva? Pra que?

Só se for para um eu interior mais desenvolvido em prol de um nós social melhor, coletivo e saudável!

______________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha – Sócio da Consultoria GestaoAdvBr

http://www.gestao.adv.br gustavo@gestao.adv.br

4 comentários sobre “A raiva e você

  1. Pingback: My Homepage

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s