Happy ou Sad Hour: as saias-justas em festinhas entre colegas de trabalho

Dia desses, uma ex-colega de trabalho, digo ex porque já não trabalhamos juntas no mesmo ambiente de trabalho, mas permanecemos na mesma empresa, veio passar as férias no Brasil (ela trabalha além das “terrinhas tupiniquins”).

Dedicou um de seus dias para fazer um check up geral na cidade e, como vinha para Porto Alegre, pediu-me que marcasse um happy hour com os colegas do setor.

Brincando, eu disse: “só os queridos”?

E ela respondeu: “Confio no teu poder de decisão”.

E então começou a minha dor de cabeça. Se convidasse só o grupo de amigas que costumava sair de vez em quando para fazer um happy, almoçar, eu criaria uma situação constrangedora para os demais colegas do grupo. Se convidasse todo o grupo, exceto os chefes, quando esses soubessem, poderiam chatear-se. Se convidasse a todos, teria de pedir autorização para despachar um e-mail de conteúdo não profissional para todos os colegas, o que faria, naturalmente, com que a maior parte dos colegas com menor afinidade declinasse do convite em prol de suas atividades particulares.

Para evitar melindres e situações embaraçosas, tanto para mim, quanto para ela, acabei decidindo pela última alternativa e foi encaminhado e-mail para todos os colegas do setor, pedindo que fossem confirmadas as presenças até certo horário, para que pudéssemos reservar um número de lugares que contemplassem a todos os interessados.

Contudo, para minha surpresa, apenas “parte dos queridos” confirmaram presença. As escusas foram as mais variadas, e não julgo ninguém pela decisão tomada, afinal, participar ou não desses eventos fora do local de trabalho compete apenas aos envolvidos.

Fiquei de certa forma chateada, pelo fato de parecer um desprestígio a uma pessoa tão querida por todos, principalmente porque ela abdicou de um dia inteirinho de férias, que poderia estar com sua família, para compartilhar com os ex-colegas.

Bom, contei toda essa história para chegar numa parte que, muitas vezes na empresa onde trabalho muitos reclamam e se dizem desmotivados: é tão fácil reclamar do clima organizacional, da falta de envolvimento entre os colegas, mas é tão difícil se doar para que as coisas melhorem…

Diversas pesquisas versam sobre dicas de combate ao estresse no ambiente de trabalho (http://migre.me/9bYnq). Verifique seu nível de estresse (http://migre.me/9bYig).

Comprometa-se com a mudança do ambiente em que trabalha: doe-se mais para obter um retorno maior.

E que meu chefe não me ouça, mas até falar mal dele combate o estresse (http://migre.me/9bYDp)! Brincadeiras a parte, por que então não se reunir pra um bate papo gostoso com os colegas, para botar a fofoca em dia, e ainda de quebra reduzir seus níveis de estresse e ansiedade?

Lembre-se sempre: “A equação que todos devíamos seguir: Life = Happy – Sad”. (Daniela A. F. Rodrigues)

 

Artigo escrito por Polliana Giraldello

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s