Uma peça teatral ou realidade? E o que você faz com isto?

Quantas vezes a realidade se confunde com o teatro? E vice-versa?

O que é realidade mesmo?

E o questionamento que fica: Você vive na realidade ou no teatro?

Vejamos um exemplo de teatro de mais de 400 anos atrás que aparenta ser de hoje:

Diálogo de quase 400 anos na peça teatral

“Le Diable Rouge”, de Antoine Rault, entre os personagens Colbert e Mazarino,

durante o reinado de Luís XIV, século XVIII que, apesar do tempo decorrido, continua sendo a regra.

Atentem principalmente ao último trecho:

Colbert:

Para arranjar dinheiro, há um momento em que enganar o contribuinte já não é possível.

Eu gostaria, Senhor Superintendente,

que me explicasse como é possível continuar a gastar quando já se está endividado até o pescoço.

Mazarino:

Um simples mortal, claro, quando está coberto de dívidas e não consegue honra-las, vai parar na prisão.

Mas o Estado é diferente!

Não se pode mandar o Estado para a prisão.

Então, ele continua a endividar-se.

Todos os Estados o fazem!

Colbert:

Ah, sim? Mas como faremos isso, se já criamos todos os impostos imagináveis?

Mazarino:

Criando outros.

Colbert:

Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.

Mazarino:

Sim, é impossível.

Colbert:

E sobre os ricos?

Mazarino:

Sobre os ricos também não.

Eles parariam de gastar.

E um rico que gasta, faz viver centenas de pobres.

Colbert:

Então, como faremos?

Mazarino:

Colbert! Tu pensas como um queijo, um penico de doente!

Há uma quantidade enorme de pessoas entre os ricos e os pobres: as que trabalham sonhando enriquecer e temendo empobrecer.

É sobre essas que devemos lançar mais impostos, cá da vez mais, sempre mais!

Quanto mais lhes tirarmos, mais elas trabalharão para compensar o que lhes tiramos.

Formam um reservatório inesgotável…

É a classe média.

Extraído do Facebook

 

Não somos o Estado, não é mesmo?

Quais os controles financeiros que você tem no seu escritório?

Você trabalha com orçamento?

Mesmo com recebimento variável você faz reserva de valores periodicamente?

Se você não estruturar o seu escritório ninguém o fará, muito menos o próprio Estado.

Bem, e como fazer isto?

Comece fazendo reservas do que você recebe. Analise os valores fixos. Veja o que pode ser expurgado, não necessário neste momento. Invista em pessoas, treinamento, cursos e conhecimento. Invista periodicamente em marketing, pois sem clientes, não há resultado.

Enfim,  planeje desde já o seu escritório. 2017 já começou e daqui a 6 meses está acabando… Vai deixar pra amanhã?

#MãosaObra!

____________________________________________________

Pensamentos concebidos por Gustavo Rocha

Consultoria GustavoRocha.com – Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos

(51) 98163.3333  |  gustavo@gustavorocha.com  | http://www.gustavorocha.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s