Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito #DepartamentoasQuintas

frioquentemorno“Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito”, texto Bíblico do Apocalipse, Capítulo III, Versículo 16. “Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca”.

Uma verdade existencial.

Seja A ou B, seja bom ou mal, seja algo, pelo amor de Deus, seja!

Quantas pessoas em cima do muro, pessoas preocupadas com salários e horário ao invés de resultados, pessoas que não fazem parte dos 5%.

Como assim 5%?

Diz a sabedoria popular que apenas 5% das pessoas aprendem efetivamente, 5% se dão bem na vida, 5% tem seus objetivos recompensados.

Obviamente estes 5% são pessoas que estudaram, cresceram e batalharam diferente dos restantes 95%, certo?

As vezes não é somente isto que faz a diferença, mas o fato de não ser morno faz a diferença.

Como assim?

Pessoas que preferem espalhar boatos nos corredores ao invés de ideias a seus superiores são mornas.

Pessoas que preferem ir pra casa as 18h em ponto, com suas mesas cheias de trabalho, são mornas.

Pessoas que escolhem reclamar ao invés de batalhar pelo seu espaço, se fazendo de coitadas, são mornas.

E pior: Escolhem ser mornas.

Escolhem a pseudo facilidade de não tomar decisões, de fugir de compromissos, de estar presente em conexões com clientes, enfim, querem viver uma vida mais ou menos, mas reclamam como se fossem exponenciais quentes ou frios.

Quem é quente ou frio define a sua existência com clareza.

Quer escolher “A”? Então, não é B, nem C, nem o resto alfabeto. É “A” e pronto.

Pessoas que definem suas escolhas sofrem as conseqüências, mas igualmente recebem seu sucesso.

Pessoas mornas apenas esperam o resultado e o mesmo não tem sabor, pois é o vômito daqueles que fizeram a escolha por elas.

Quer comida ou vômito?

#Aescolhaésua

____________________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha

GustavoRocha.com – Gestão e Tecnologia Estratégicas

Celular/WhatsApp/Facebook Messenger: (51) 8163.3333 |

Contato Integrado: gustavo@gustavorocha.com [Mail, Skype, Gtalk/HangOut, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

Web: http://www.gustavorocha.com 

2 comentários sobre “Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito #DepartamentoasQuintas

  1. Olá Gustavo Rocha.

    Primeiro quero deixar claro que não pertenço a nenhuma igreja, congregação ou algum sistema filosófico ou que professo alguma ideologia.

    Lendo seu artigo (Quente, Frio, não morno) no JusBrasil não deixei de querer manifestar minha colaboração quanto ao entendimento de tal versículo.
    E sendo sincero comigo mesmo, adianto minhas desculpas se por acaso você se sentir magoado e afirmo que discordo totalmente do sentido que você quis dar ao Versículo 16 do apocalipse,

    vejamos:

    1º – Você colocou como justificativa para o sentido que você quis passar no seu artigo, apenas o versículo 16;
    2º – Como o capitulo em questão nos quer passar uma mensagem afirmativa e verdadeira com um significado e é composto por vários versículos, então se faz necessário, demonstrar pelo menos, 3 versículos antes e 3 versículos depois do versículo demonstrado por V. Sra. para que tenhamos uma amplitude maior quanto ao entendimento de tal versiculo.
    3º – Entenda que a Bíblia, por ser um livro de significado religioso, principalmente o novo Testamento e o apocalipse, são 02 livros que tenta nos passar o valor da Ética e que para a prática da mesma se faz necessário nos afastarmos do ritmo frenético de nossa vida no dia-dia e já que é assim, o versículo 16 em questão fica totalmente averso com a ideia que você tenta passar no seu artigo.

    Vejamos parte do capitulo III, mostrando pela ótica dos versículos entre o 14 e o 18.

    ====================================================================================
    14 – E ao anjo da igreja de Laodiceia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
    15 – Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
    16 – Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
    17 – Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
    18 – Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.

    Obs: Esclarecimento:
    O autor/narrador, fala pela pessoa do Cristo.
    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
    Explicação:
    No versículo 14, o autor/narrador, falando pela pessoa do Cristo, direciona suas afirmativas a um alguém que talvez seja o chefe ou pessoa de grande influência em tal comunidade cristã;

    No versículo 15, o autor/narrador demonstra conhecer todo o comportamento de tal chefe da comunidade cristã, acusando-o de ser omisso quanto as suas responsabilidades, cobrando dele a tomada de decisão quanto a sua missão em tal comunidade cristã;

    Nos versículos 16 e 17, o autor/narrador demonstra com uma acusação, qual o estado de espirito do tal chefe da igreja, acusando-o de que sua omissão se deve ao fato de o mesmo ficar “em cima do muro”, não querendo se definir quanto a escolha de qual lado deve ficar quanto ao apoio a aquilo que justo ou injusto dentro de tal comunidade cristã e que tal comportamento, se deve ao fato de que o tal chefe da comunidade é rico e por se achar com o futuro garantido não tem um minimo de preocupação quanto as suas responsabilidades, fazendo jogo duplo, que é um comportamento pior do que aquele que pratica um mal, neste caso este tal chefe, pratica o mal 02 vezes e por querer fugir do mal com tal prática, estará mais preso ao mal. Mais adiante, na continuidade do versículo 17, o autor/narrador o avisa-o que toda a sua riqueza só o faz mais desgraçado, miserável, pobre e nu, tirando com isso toda a falsa ilusão que a riqueza nos faz imaginar e que por conta de tudo isso, o narrador, como sendo o Cristo, afirma que renegará a tal pessoa na hora da sua morte.

    No versículo 18, o autor/narrador o faz entender que a verdadeira riqueza a ser comprada, é a espiritual e que esta riqueza é comparada a compra de ouro DE ALTA QUALIDADE quando adquirida com sacrifícios em prol daqueles ao qual nos comprometemos a guiar e que esta mesma riqueza também é comparada a compra de vestes brancas nos limpando de nossa falta de responsabilidade e de nossos erros, cobrindo a ignominia de tais atos agindo em nós como um colírio, limpado de fato as nossas consciências sob um novo prisma.
    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
    Conclusão:
    Já que o seu artigo tenta mostrar tenta justificar a prática dos excessos (busca por riquezas, promoção profissional, endeusa a tecnologia e várias outras atitudes que só nos leva ao declínio psicológico) citando como justificativa o versículo 16 e
    como demonstrei que o significado de tal versículo é totalmente adverso a todo o significado do presente artigo, onde o narrador/autor nos faz entender que, pelo contrário, não devemos confiar nas riquezas, cargos, fama e etc, MAS QUE DEVEMOS LEVAR UMA VIDA MODERADA, sugiro que você repense no seu entendimento sobre a bíblia.
    E como diz o ditado, Vivamos com moderação.
    Não entenda como ironia e
    Desculpa minha sinceridade.
    Airton Barros

    Curtir

    • Prezado Airton,

      Respeito a tua opinião.

      Apenas destaco que o propósito do meu portal não é religioso, nem filosófico, apenas de incentivo e reflexivo no que toca a gestão, tecnologia e marketing jurídico.

      Nesta realidade, o contexto independente do versículo pode ser usado, posto que ter posicionamento no ambiente de trabalho não significa que a pessoa não será moderada em seu agir e poderá perder a consciência de suas verdades e crenças interiores.

      Minha reflexão no artigo é que sejamos proativos e tenhamos uma opinião sobre as coisas que trabalhamos e vivemos, não sendo mornos em relação a nossa existência. E destaco que em nenhum momento endeuso coisas como mencionado, mas sim destaco a necessidade de crescermos profissionalmente – o que na minha opinião não é um demérito ou problema.

      Ainda discordando, atingi o objetivo de reflexão e fico muito feliz com teu comentário.

      Uma ótima noite!

      Abraço fraterno,

      Gustavo Rocha
      GustavoRocha.com – Gestão e Tecnologia Estratégicas
      Celular/WhatsApp/Facebook Messenger: (51) 8163.3333 |
      Contato Integrado: gustavo@gustavorocha.com [Mail, Skype, Gtalk/HangOut, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube] |
      Web: http://www.gustavorocha.com

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s