Dinheiro e você: Já fizeram as pazes?

DinehiroDinheiro para a maioria ou grande parte dos profissionais é um tabu. Lidam com dinheiro com reservas, com segredos, afinal, socialmente quem tem dinheiro não pode ser boa pessoa.

Temos uma cultura de negar o dinheiro.

A impressão que muitos na sociedade exercem sobre nós é de que quem tem dinheiro não pode ser honesto. Honesto é o cara que sofre bulling, que apanha e não revida, que batalha uma vida inteira e no final dela ganha um salário mínimo. Este sim, é honesto!

Será mesmo?

Você não precisa de dinheiro para pagar as suas contas? As contas do escritório?

Existe algum tipo de vergonha em dizer que somos advogados, exercemos a justiça como objetivo de nossa atividade, temos característica de múnus público na nossa atividade? Contudo, quando falamos que existe um valor para tudo isto, parece que o valor de tudo isto cai por terra.

Por quê?

A profissão jurídica como qualquer outra é remunerada e a remuneração é feita através dos honorários.

Quando afirmamos que o nosso trabalho deve ser valorizado não é apenas pela busca dos honorários. É realmente porque nosso trabalho é um diferencial na sociedade, nosso trabalho resulta na paz social.

Se entendemos que nosso papel social é importante, porque não sabemos entender a igualdade honorários = dinheiro?

Será porque pensamos que nosso trabalho é tão social que parece não “merecer” ser adequadamente remunerado?

Para contribuir um texto do Consultor Americano Dave Lorenzo:

You need to make money.  Maybe even more money than you are currently making.  Even if you don’t need it, you want it.

There’s nothing wrong with that.

Let me say that again.

There is nothing wrong with wanting to make more money.

You can love the law and want more money.

You can love your family and want more money.

You can provide great value to your clients and want more money.

You can be a good person and want more money.

Money is not bad.  It is good.

So why do so many attorneys have a complex about making more money?

A law firm is a business.

Businesses exist …to make money.

Don’t get hung up on the negativity about growing your practice, raising your rates or charging for initial consultations.

Deliver fair value and charge accordingly.”

Em bom português:

“Você precisa de fazer dinheiro. Talvez até mais dinheiro do que você está fazendo. Mesmo que você não precisa dele, você quer.

Não há nada de errado com isso.

Permitam-me dizer isso novamente.

Não há nada de errado em querer ganhar mais dinheiro.

Você pode amar a lei e querem mais dinheiro.

Você pode amar sua família e queremos mais dinheiro.

Você pode fornecer grande valor aos seus clientes e queremos mais dinheiro.

Pode ser uma boa pessoa e querem mais dinheiro.

O dinheiro não é mau. É bom.

Então, por que tantos advogados têm um complexo fazer mais dinheiro?

Um escritório de advocacia é um negócio.

… As empresas existem para ganhar dinheiro.

Não fique pendurado em cima da negatividade crescente sobre sua prática, aumentar o seu ou cobrando taxas de consultas iniciais.

Entregar valor justo e encargos em conformidade.”

Ou seja, se agrego valor e o meu trabalho é notoriamente um trabalho de meio e não de resultado, porque não aceitar que devo ser remunerado adequadamente por isto?

Quem não vê a riqueza como problema sabe que para crescer é necessário trabalhar. E trabalhar muito. Como se diz no jargão popular “Não existe almoço grátis”. Existem contrapartidas para ações que são realizadas.

Faça as pazes com o dinheiro. Aceite que o seu trabalho vale e deve ser remunerado, mesmo se for uma consulta, mesmo se for uma informação.

Crie a cultura do valor ao seu conhecimento.

Caso contrário, entraremos na filosofia de Adrian Rogers que em 1931 já dizia:

“É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os  ricos  pela  prosperidade.  Para  cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo  que  não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a idéia  de  que  não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la,  e  quando  esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, assim chegamos ao começo do fim de uma nação.

É impossível  multiplicar riqueza dividindo-a.”

Adrian Rogers, escreveu em  1931

 

Trabalhe para o sucesso, este é o único caminho da prosperidade.

______________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha
Sócio da GestãoAdvBr – Consultoria em Gestão e Tecnologia Estratégicas
Sócio da Bruke Investimentos
[+55] [51] 8163.3333 | www.gestao.adv.br | http://www.bruke.com.br
Contato integrado: gustavo@gestao.adv.br [Email, Skype, Gtalk, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s