Perguntas, perguntas, perguntas

Estamos no primeiro dia útil de Dezembro de 2012. Praticamente as vésperas de 2013. Um momento de pensar em finalizar o ano, Natal, Ano novo, férias, etc.

Igualmente, um momento ímpar para pensar no que fizemos da nossa vida em 2012 e o que queremos fazer dela em 2013.

Um poema de Pablo Neruda diz muito neste momento de reflexão:

 

Pablo Neruda – Morre Lentamente

Quem morre?

Morre lentamente
quem se transforma em escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente
quem faz da televisão o seu guru.
Morre lentamente
quem evita uma paixão,
quem prefere o preto no branco
e os pingos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções,
justamente as que resgatam o brilho dos olhos,
sorrisos dos bocejos,
corações aos tropeços e sentimentos.
Morre lentamente
quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho,
quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida,
fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente
quem não viaja,
quem não lê,
quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente
quem destrói o seu amor-próprio,
quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente,
quem passa os dias queixando-se da sua má sorte
ou da chuva incessante.
Morre lentamente,
quem abandona um projeto antes de iniciá-lo,
não pergunta sobre um assunto que desconhece
ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior
que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos
um estágio esplêndido de felicidade.

 

Você já pensou em como está o seu trabalho? Você está feliz? Você vê seus sonhos nele?

Caso não, porque você ainda está nele?

O mesmo vale para aqueles que adoram reclamar: Queixar-se não resolve. Mude, aja, faça. Isto sim resolve.

Você insiste nos seus projetos?

Você tem curiosidade sobre o desconhecido?

Você quer sempre saber mais e mais?

Perguntas, perguntas, perguntas… E as respostas?

Ao meu ver, morre lentamente quem apenas vive, sem saber que o viver significa existir e coexistir em simbiose com a própria essência da vida e do amor.

Acorde agora!

Planeje, execute, mude!

O tempo é implacável e as perguntas vão se multiplicando… Encontre respostas, mesmo que seja não sei. Faça novas perguntas e busque novos horizontes.

Você é o único responsável pelo seu sucesso.

2013 está chegando e aguarda ansioso os seus sonhos….

______________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha – Sócio da Consultoria GestaoAdvBr

www.gestao.adv.br  |  gustavo@gestao.adv.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s