Computação nas nuvens jurídica – Isto existe?

Recentemente foi publicado um artigo nos EUA sobre computação nas nuvens para advogados e as questões éticas inerentes, destacando algumas questões pertinentes a este fato. Leia na íntegra – em inglês – aqui o artigo.

Em dois Estados do EUA – New Jersey e Nevada – já existem orientações jurisprudenciais acerca da ética que deve ser seguida no caso de informações de clientes confiadas a advogados e estes colocam estas informações na internet. Os preceitos lá determinados são que as mesmas regras que valem para o papel, valem para internet.

Em fato, bem razoável as ideias lá contidas, uma vez que o meio virtual é um meio e não uma mudança de procedimento jurídico ou advocatício.

No Brasil ainda estamos engatinhando sobre as questões virtuais.

Todavia, aqui são pertinentes alguns comentários acerca do que é computação nas nuvens para advogados.

Computação nas nuvens é trabalhar com seus arquivos, documentos e dados totalmente armazenados na internet, seja num sistema via web, seja via computador remoto, etc.

Isto significa que se um escritório tem todos os seus dados de clientes no seu servidor dentro do escritório, mas seus advogados acessam estes dados via internet (máquina do usuário acessando servidor do escritório), estamos diante de uma espécie de computação nas nuvens.

Da mesma forma, se o sistema que o escritório usa é pela internet e lá estão os dados dos clientes, o escritório está usando uma plataforma da computação nas nuvens.

Assim sendo, como fica a ética e segurança?

Uma importante reflexão que devemos ter.  Responda as seguintes perguntas:

1. Seu escritório tem servidor interno de dados (petições, arquivos, etc)?

2. E servidor de emails?

3. E um firewall?

4. Tem backup diário e pelo menos um semanal guardado fora do escritório?

5. Seu sistema de gestão do escritório garante os dados ali armazenados?

5.1. Caso positivo, isto está no contrato?

5.2. Caso positivo, você sabe quem armazena seus dados?

6. Você utiliza antivírus?

6.1. Caso positivo, você atualiza periodicamente o antivirus?

7. Você sabe o que os seus funcionários estão acessando na internet?

8. Você permite pendrive e outros meios de acesso no computador ou servidor?

9. Você tem uma contingência de internet no escritório (no caso de uma internet falhar, outra assume)?

10. Você possui seus programas (windows, office, etc) legalizado?

Perguntas, ah! perguntas…

Se você sabe as respostas acima, parabéns, você está preparado para a computação nas nuvens.

Se você não sabe, cuidado, seu escritório pode estar sendo invadido ou pior, dados de clientes estão em risco.

A tecnologia tem que ser uma aliada e não um problema.

Lembre-se que os dados dos clientes foram confiados ao advogado e não ao computador. O que faz o advogado com estes dados é sua responsabilidade.

Atue em prol da segurança e transforme a computação nas nuvens num meio de acelerar o seu escritório.

Uma ótima reflexão para o final de semana…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.