Competência atrapalha?

competenciaO título parece absurdo, não é mesmo?

Contudo, uma realidade que acontece no cotidiano do dia a dia: Empresas onde o bom funcionário, aquele que tem um diferencial, aquele que realmente se dedica, fica preso na carreira enquanto o mediano avança.

Por que isto ocorre?

Na maioria das vezes por preguiça de analisar o próprio negócio.

Preguiça de ver quem é quem nas atividades.

Preguiça delegada a outro funcionário – na maioria das vezes alguém até com menos função/visão do que o avaliado.

Preguiça de ver que o negócio é seu e a partir do seu tato, estratégia e visão deve crescer e não de um ou outro colaborador.

E quando isto existe, o que pode fazer o colaborador que quer crescer?

Uma interessante reportagem nos brinda com algumas dicas:

No início de carreira, a tática é simples: desenvolver habilidades, trabalhar com empenho, fazer sacrifícios. Mas essa lógica – que funcionou tão bem até então – pode se tornar uma armadilha com o passar do tempo, impedindo que o profissional atinja o topo da corporação. É a “maldição da competência” – expressão cunhada pela consultora americana Aimee Cohen, autora do livro Woman Up!: Overcome the 7 Deadly Sins that Sabotage Your Success (algo como “Mulher para cima!: Sobrepuje os 7 pecados mortais que sabotam o seu sucesso”). “A pessoa ficou tão boa no que faz que se tornou indispensável, sendo preterida em promoções”, diz. Segundo Aimee, isso afetaria sobretudo as mulheres. “Infelizmente, é uma tendência comum em executivas”, diz. Ela mostra como evitar que a carreira estacione por excesso de competência.

1) Atitude proativa. Quando a chefia não enxerga o potencial extra da subordinada, cabe a ela se fazer notar. Aconselhada por Aimee, uma executiva montou uma apresentação em slides ao chefe, mostrando como a empresa lucraria se ela recebesse uma promoção.

2) Evite o ressentimento. A profissional preterida deve evitar o confronto agressivo com a chefia. Soa óbvio, mas de acordo com Aimee, é comum extravasar frustração nessas horas. “Não critique o chefe por não ter sido promovida.”

3) Aborde o assunto com tato. Ao mostrar ao chefe que está pronta a assumir maiores desafios, num cargo de mais responsabilidade, a profissional corre o risco de melindrá-lo.

4) Aprenda a mexer os pauzinhos. Segundo Aimee, muitas executivas, apesar de competentes, são ingênuas e pouco versadas nos meandros de poder da corporação. “Para ‘vender’ efetivamente a proposta de promoção, é fundamental conhecer bem a estrutura corporativa, quais são os maiores desafios da companhia, quem são as pessoas mais influentes”, diz a consultora.

Fonte: http://epocanegocios.globo.com/Inteligencia/noticia/2015/01/competencia-demais-atrapalha.html

E se nada disto funcionar?

Sempre haverá outra empresa, outro mercado, outra possibilidade.

A vida é feita de escolhas e se a empresa que você está for preguiçosa para analisar o seu talento, escolha outra.

E para aqueles que pensam como empresários, a verdade é a mesma, se for um talento, aprenda a conquistá-lo. Se não for, que outra empresa seja a morada da felicidade deste funcionário.
____________________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha

GustavoRocha.com – Gestão e Tecnologia Estratégicas

Celular/WhatsApp/Facebook Messenger: (51) 8163.3333

Contato Integrado: gustavo@gustavorocha.com [Email, Gtalk/HangOut, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

Web: http://www.gustavorocha.com

| Aproxime seu celular com aplicativo leitor de Qr-Code e tenha todos meus dados no seu celular na hora! |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s