Crônica de um carro velho

volkswagen_fusca_1500_1974(18_11_2004)Sabe, eu já fui um carro novo, hoje sou um carro considerado velho.

Há 40 anos atrás, eu era um sucesso.

Arredondado, com prateado no meio e nos acessórios, todos queriam andar comigo.

Era potente, podia ter 1500 cilindradas e fazia um barulho que todos sabiam quem eu era e onde estava passando.

Era o desejo dos homens e mulheres e bastava me ter, que o sucesso era garantido.

Eu era um Fusca, 1500, do ano de 1974.

Os anos passaram e com eles vieram todas as emoções, corridas, fizeram até um filme dedicado a meus antecessores e para mim. Eu era a sensação até no cinema. E no cinema, tive refilmagens até 2006, não é mole, mais de 30 anos no cinema.

Mas, como tudo na vida, tive meus momentos altos e também meus momentos baixos.

Pararam de me fabricar, tive dificuldade de conseguir peças e por pouco não parei num ferro velho.

Tantas emoções, já diria o Roberto…

Mas, aqui estou, vivo, forte, andando e fazendo a alegria do meu dono, que agora me chama de carro de colecionador… Não entendi direito, pois ele somente tem a mim e me diz que sou de coleção, mas coleção de um carro só?

Bem, esta é a minha história. Quer linda, emotiva, triste ou abençoada, assim sou, um fusca 1500 de 1974.

E você?

Já tem 40 anos como eu?

E como passou estes 40 anos?

Cuidou de si? Pensou na sua vida, no seu negócio, na sua estrada?

Você hoje é alguém digno de colecionador ou ferro velho?

E na sua carreira, você anda trocando as peças, o óleo, os pneus e continua rodando ou resolveu se estagnar e apodrecer no ferro velho?

O mesmo vale para a sua forma de pensar, evoluir, raciocinar e crescer diante das adversidades da vida.

Não tá fácil pra ninguém… Eu fiquei esperando peças, tive que montar vários clubes de carros para poder sobreviver num mercado de Japoneses e Sul Coreanos. Contudo, até hoje, mais de 40 anos depois do primeiro, ainda sou exemplo de persistência.

Assim como tinha o primeiro sutiã, eu era o primeiro carro…

E você, é primeiro no quê?

Para continuar na memória, eu me reinventei… Em 1996 depois do Itamar tentar me ressuscitar como o modelo antigo alguns anos antes, eu me aperfeiçoei e em 1998 apareci como o New Beetle, com design arrojado e ainda muito cobiçado no mercado até hoje.

E aí pergunto: E você, tem se reinventado em que para continuar no mercado?

A crônica até pode ser de um carro velho, mas cheio de história, altos e baixos e um final que ainda não acabou, pois como fênix ainda possuo modelo atualizado e muitas versões minhas de colecionador para contar como era andar com apenas um martelo e cabo de aço para arrumar qualquer defeito…

E você, tem o quê para contar na sua história?

____________________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha

GustavoRocha.com – Gestão e Tecnologia Estratégicas

Celular/WhatsApp/Facebook Messenger: (51) 8163.3333

Contato Integrado: gustavo@gustavorocha.com [Email, Gtalk/HangOut, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

Web: http://www.gustavorocha.com 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s