Cinco macacos

Os Cinco Macacos
(autor desconhecido)

Um grupo de cientistas colocou cinco macacos em uma jaula. No meio da jaula, uma escada, e, sobre ela, um cacho de bananas. Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, um jato de água fria era acionado em cima dos que estavam no chão.

Depois de um certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros pegavam-no e enchiam-no de pancada. Com mais algum tempo, mais nenhum macaco subia a escada, apesar da tentação das bananas.

Então, os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo retirado pelos outros, que o surraram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo já não mais subia a escada.

Um segundo macaco, veterano, foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo, na surra ao novato. Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu. Um quarto e, afinal, o último dos veteranos, foram substituídos.

Os cientistas, então, ficaram com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas. Se possível fosse perguntar a algum deles por que batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria:

“Não sei… Mas as coisas sempre foram assim por aqui…”

Este texto nos traz uma reflexão importante, relacionada diretamente a nossa atitude:

Nós criticamos o que acontece conosco?

Criticamos os procedimentos existentes?

Criticamos as atitudes dos colegas?

Ou simplistamente aceitamos as regras como elas são?

Não se trata de crítica por maldade ou crítica sem fundamento. Trata-se de análise crítica.

Devemos analisar o que está acontecendo ao nosso redor, verificarmos maneiras de mudarmos os procedimentos e evoluirmos.

Não importa se você é estagiário, faxineira ou subalterno. Se você não tem voz no escritório ou empresa, procure outra empresa.

Ouvir seus funcionários, principalmente aqueles que possuem ideias não é favor, É OBRIGAÇÃO DE QUALQUER EMPRESA SÉRIA.

Não aceite as coisas como ela são. Seu raciocínio e conhecimento é que fazem a vida existir e ser um verbo e não um mero substantivo.

Critique os procedimentos com ideias, sugestões e coloque voz nos seus pensamentos. A inovação, inteligência e criatividade agradecem!

Autor: Gustavo Rocha

Consultor nas áreas de gestão, tecnologia e marketing estratégicos. Acesse: www.gustavorocha.com

Nenhum pensamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.