Cão-guia e a gestão do seu negócio

Parece uma combinação improvável não é mesmo?

O que um cão-guia para cegos pode ter a ver com um negócio jurídico ou empresarial?

Muito. Principalmente em relação ao seu treinamento e reações para as mais determinadas situações.

Li recentemente o livro “Adorável Heroína” de Michel Ringson com Susy Flory. O livro retrata a estória real de um homem cego (Michel) que trabalhava no 78 andar do World Trade Center no dia 11 de Setembro de 2001 (dia do ataque terrorista as torres gêmeas) e como ele com seu cão-guia Roselle conseguiram escapar do prédio. Uma verdadeira lição de vida. Saiba mais em http://rosellefoundation.org/

Mas, o que isto tem a ver com o universo empresarial?

Para aguçar a vontade de vocês de lerem o livro, brindo-os com uma página do livro, onde o autor demonstra a sabedoria do cão- guia e neste trecho, faço meus comentários em azul:

A sabedoria do cão-guia

O que aprendi com a Roselle no 11 de Setembro

1. Há hora para trabalhar e hora para brincar. Saiba a diferença. Quando a guia é colocada, é hora de trabalhar; trabalhe duro; outros dependem de você;

Se você não sabe a diferença entre horário de trabalhar e de brincar, você ainda não amadureceu profissionalmente. É óbvio que precisamos brincar, sorrir, sermos felizes, inclusive no ambiente profissional.

Contudo, há momentos que o foco é finalizar a tarefa, é estar presente sem sorrisos jocosos, mas no máximo de bom dia, boa tarde.

Saber quando reagir é mais que uma arte: É uma necessidade de sobrevivência profissional.

2. Concentre-se e use todos os seus sentidos. Aprenda a reconhecer a diferença entre uma tempestade inofensiva e uma verdadeira emergência; Não deixe que a sua visão o impeça de enxergar;

Taí uma baita lição de um cego: Não deixe que a visão lhe impeça de enxergar. Quantas vezes as pessoas fazem tempestades num copo d’água, justamente porque tem uma visão corrompida da realidade dos fatos?

Existem emergências sérias que parecem inofensivas. A dica é: Observe além daquilo que é dito ou demonstrado. Todos temos interesses em nossas atitudes, sejam estes interesses nobres ou não.

3. Há momentos em que o caminho se torna complicado, mas se você trabalhar em conjunto, alguém aparecerá com uma garrafa de água no momento em que você mais estiver precisando.

Não pense que o trabalho é feito sozinho. O trabalho em conjunto é sempre mais produtivo e rende mais.

Quando as coisas ficarem complicadas, não hesite em buscar ajuda. Sozinhos pensamos e resolvemos muito. Em conjunto, vamos muito mais além.

4. Sempre, mas sempre mesmo, agrade os bombeiros.

No contexto do livro, eles estavam descendo as escadas e os bombeiros começaram a subir (imagina lembrar disso hoje e saber que aqueles homens que estavam subindo para ajudar os outros e salvar vidas nunca iriam sair vivos dali?) e encontraram ele (cego) e Roselle (seu cão-guia). Eles pararam e queriam ajudar eles a descer (não era necessário), brincaram com a Roselle e transformaram alguns minutos em um momento de relaxamento e humanidade. Roselle agradecia com lambidas o carinho do bombeiro chefe e mesmo com isto, não perdeu o foco de continuar descendo as escadas com precisão.

Na vida empresarial, devemos estar atentos a quem pode e quer nos ajudar. Pode ser um colaborador com informações, pode ser até mesmo um concorrente, que nos ajuda a  não fazer trapalhadas como ele faz.

Percepção com atitude é tudo. Abra os olhos!

5. Durante o trabalho, ignore as distrações. A vida vai além de correr atrás de um osso ou uma bola de tênis.

Uma parada para descansar é sempre bom, um café com alguma conversa também, mas ter foco é fundamental.

Se você está cônscio de suas atividades, sabe se pode ou não dar uma paradinha. Só que algumas pessoas pensam que as coisas podem ficar para amanhã ou para depois. Isto não é ter consciência de suas atividades. Ter prazos, foco e visão do todo é que podem dar a resposta do tempo real que você tem para fazer algo.

Inclusive é bom refletir que esta consciência do tempo também propicia dizer não a novas tarefas para concluir antes as pendentes.

6. Ouça atentamente aqueles que são mais sábios e experientes que você. Eles irão ajuda-lo a encontrar o caminho.

Seja humilde. Aprenda que experiência não se compra, se adquire. Peça auxílio, escute e veja o que pode aproveitar daquilo que outros já fizeram.

Não significa que alguém mais velho saiba tudo e tudo que ele diz seja a verdade absoluta. Mas, significa que você pode economizar muito tempo em erros bobos que ele já passou e pode construir a sua verdade de uma maneira bem mais completa e rápida.

7. Não pare até que a sua tarefa esteja finalizada.  As vezes, ser um herói, é apenas aquele que faz o seu trabalho.

Concordo plenamente. No livro, Roselle (cão-guia) não parou de descer os 78 andares até chegar ao chão, mesmo com cheiro de combustivel, mesmo com inúmeras pessoas, mesmo com água e lixo no chão, mesmo com tantas adversidades. Foi justamente este foco que permitiu eles estarem fora do prédio no momento do desabamento.

Faça o seu trabalho, foque e tenha objetivos. Inclusive, comemorar o fim da tarefa é um objetivo, pois ninguém é de ferro!

8. A nuvem de poeira não vai durar para sempre. Continue caminhando e procure a saída. Ela vai aparecer.

Nada ruim é eterno, nem nada bom. Então, viva o presente e cada momento faça a diferença.

Os problemas estão lá para nos mostrar como temos coisas boas perto deles. Observe os problemas como uma oportunidade de crescer e fazer diferente desta vez.

É a sua reação, e não o tamanho ou tipo de problema, que faz a diferença.

9. Sacuda a poeira e siga em frente. Você se lembra do primeiro comando do cão-guia? “Em frente”.

Com certeza. Como diz o samba: “Reconhece a queda / E não desanima / Levanta, sacode a poeira / E dá a volta por cima”.

Afinal, “Se tu choras por ter perdido o sol, as lágrimas te impedirão de ver as estrelas.”(Exupéry). Bola pra frente, ou como diz o autor: Em frente!

10. Quando o trabalho tiver chegado ao fim, brinque muito com seus amigos. E não se esqueça de emprestar o seu ossinho de corda.

Está no seu momento de descanso? Aproveite! Descanse, brinque, deixe sua mente livre para criar. São justamente nestes momentos que podemos ser mais criativos do que nunca!

Enfim,

Um cão-guia nos ensina muito não é mesmo?

Aliás, os animais nos ensinam sempre, mesmo aqueles que não foram treinados.

Quer uma última dica?

ADOTE um animal. Não compre. Faça a sua parte em manter um mundo mais digno àqueles que incondicionalmente estão sempre dispostos a ajudar e dar o seu amor a você.

#Ficaadica!

______________________________________________
Artigo escrito por Gustavo Rocha – Sócio da Consultoria GestaoAdvBr
http://www.gestao.adv.br gustavo@gestao.adv.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s